sexta-feira, 30 de maio de 2008

O show dos desencontros



Alguém, por acaso, vira primeiro, chamara os outros, e, agora, os garotos estavam ali, revezando-se a olhar, por um buraco na porta de aço fechada, o homem falando alto, sozinho, no outro lado do salão vazio. Louco? Bêbedo? Não. Era o palhaço desempregado, ali abrigado há dias, imaginando, em voz alta, o show que daria se houvesse, no outro extremo do recinto, uma platéia de garotos.

PRESIDENTE X



Após dois anos confinado a uma ilha perto da capital, por motivos de segurança, de acordo com a assessoria militar, o presidente X decidiu fugir. As telas de TV do palácio insular, até agora seus únicos meios de contato com o exterior, sempre diziam que o país estava bem. Verificaria isso pessoalmente, . Fugiu de noite e, de madrugada, já estava na praça da capital. Uma grande estátua chamou-lhe a atenção. Aproximou-se . Ela o retratava. Leu o texto da homenagem: “ Ao nosso inesquecível presidente X, falecido em ...” A data era de dois anos atrás.

MEUS ADMIRADORES



Imagino o que pensam e falam entre si, naquele velho carro amassado, enquanto olham para meu automóvel importado do ano. Já fui como eles. Com os amigos dos tempos ruins, a caminho do trabalho, em velhos calhambeques, quantas vezes não apontei maravilhas ao lado e perguntei: “Já pensaram , nós num daqueles?”
Agora reduzem a velocidade. Vão querer emparelhar, de novo, quem sabe para admirarem algum detalhe, talvez as magníficas calotas de liga leve; ou então os parachoques cromados.  Param na minha frente, por quê? Saem do calhambeque, por quê? Usam revólveres, por quê?

terça-feira, 20 de maio de 2008

CUIDADO DE MÃE



Objetivo do processo na Justiça: impedir a derrubada da árvore na alameda 14 do cemitério.
Justificativa oficial: preservação do verde.
Justificativa verdadeira, não constante dos autos: mulher teme que, sem a árvore, o sol de verão bata muito forte sobre a campa do filho.

MEA CULPA



O homem falava à esposa, irmãos , filhos e cunhados, reunidos na sala:
- Devido à sua mania de usar parentes como modelos de personagens e inspirar-se em histórias da família para enredos de seus livros, nós o afastamos de nosso convívio.Não tinha amigos e acredito que viveu uma existência muito solitária estes anos todos.
- Realmente, exageramos - concordou a mulher. O leitor comum não nos conhece,não poderia identificar-nos nas histórias .
-Quem de nós irá  pedir-lhe os  convites para a festa do Prêmio Nobel de Literatura que ele vai receber?-  indagou a filha mais nova.

ALEGRIA DO CIRCO



Nunca os palhaços foram tão engraçados; os malabaristas tiveram tanta ousadia, os trapezistas mostraram-se tão corajosos, as bailarinas, tão graciosas e o mágicos , inacreditáveis . Raríssimas vezes o diretor artístico, apresentador e dono do circo sentira-se tão realizado por autorizar um espetáculo .
Invadido na manhã daquele dia por famílias despejadas de uma favela, o pavilhão, pela primeira vez em anos, tinha lotação completa.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

JUSTIFICATIVA



Show musical no presídio, a cantora famosa e linda apaixona-se pelo detento; consegue que ele ganhe liberdade condicional e passam a morar juntos. Seis meses depois, ele briga com a mulher, sai de casa, perambula semanas pela cidade, furta e assalta, até que é preso novamente. Ao companheiro de cela, que, inconformado,indaga-lhe por que desprezara a chance de uma nova existência, justifica::
- Vida de casado é ruim . A gente não tem liberdade.

CONSTÂNCIA



Consideravam-na a pior pessoa da família: mal educada, disssoluta, desobediente. Todos a detestavam por isso.
Passadas as décadas, vulneráveis - irmãos, mãe viúva, sobrinhos- era a única que mantinha energias e os socorria . Passaram a detestá-la mais ainda.

terça-feira, 13 de maio de 2008

A DISPUTA



Suas brigas atingiam níveis paroxísticos. Uma ferrenha disputa para ver quem ofendia mais . Começavam com palavrões, terminavam em quebradeiras. Naquele dia não foi diferente:
O secador de cabelos dela foi o primeiro objeto a ser quebrado, seguido do computador dele. Depois, o celular dela e o mp3 dele. Então surgiu, assustada, na sala, a garotinha, filha dela, enteada dele. O homem não hesitou em atirá-la pela janela do apartamento.
- Ah, é?!
A mulher foi ao quarto do bebê, filho dele, e também atirou-o pela janela. Perdeu a disputa. Tanto o menino, como a menina, eram filhos dela.

CABELOS LINDOS



Os cabelos da recém-colega, dourados, eram lindos e a vontade de acariciá-los, intensa e quase incontrolável. Naquela noite e esquina, à sós por instantes, aguardando a chegada de uma amiga comum, ele apelou para o truque:
- Fica quieta. Tem um inseto preso em seus cabelos e vou tirá-lo.
A jovem deu um grito desesperado, tirou a peruca, jogou-a ao chão e afastou-se, olhos arregalados.

A PENA



Como pena pelos pecados cometidos na existência anterior, teria, em sua vida nova, o belo, o agradável, o criativo, o emocionante, o espetacular, o gratificante às costas, não lhe sendo permitido, sequer, vê-los de esguelha.. O confuso, o irracional, o desarmônico, o desconhecido, o problemático ficariam à sua frente, cabendo-lhe, além disso, evitar que se tornassem incontroláveis.
Foi condenado a ser  um desses policiais que, de costas para o campo, vigiam torcidas em partidas de futebol.

AVISOS DA SORTE



Pedro entrou na lotérica, marcou os seis números no volante da megasena, enfrentou a longa fila rumo ao guichê de apostas e, prestes a ser atendido, descobriu que tinha esquecido o papel no balcão . A seus pés, jogado no chão, um volante preenchido. “Pode ser um aviso da sorte”, pensou. Recolheu o volante do chão e apostou com ele.
Miguel , meia hora depois, entrou na mesma lotérica e viu o volante esquecido por Pedro no balcão . “Pode ser um aviso da sorte”, pensou. E decidiu usá-lo.
Nenhum dos dois foi premiado.

IMPRENSA E PODER



- Senhor prefeito, pedi esta audiência para saber por que, transcorridos três anos de seu governo, meu jornal não recebeu, até agora, nenhuma verba publicitária da prefeitura, enquanto o jornal do Rochedo, meu rival, sai sempre com anúncios oficiais.
- Caro Ramos, você sabe como o Rochedo é perigoso. Mal caráter, chantagista, tendencioso e difamador. É capaz de qualquer retaliação quando tem interesses contrariados ou seus adversários são atendidos. Exatamente o oposto de você, que sempre se pautou pela ética e neutralidade, não misturando interesses financeiros com os objetivos do bom jornalismo.
- E é por isso que estou sendo punido?

sexta-feira, 9 de maio de 2008

GRAN SUPREMO



Na frente da porta:
- Sim, senhores, sei que está demorando uma resposta do Gran Supremo sobre o pedido de entrevista coletiva. Mas, até neste momento difícil,em que se recupera de um ataque cardíaco, ele é um grande homem e exerce sua autoridade de maneira incontestável.Quis ficar sozinho esta manhã e determinou que ninguém entrasse no quarto sem que ele chamasse.E, como sempre, vamos todos obedecê-lo, inclusive vocês, jornalistas. Assim é e assim sempre será.
Atrás da porta:
“ A dor no peito voltou e está aumentando. Não consigo mexer-me, nem falar, estou sufocado! Alguém precisa entrar logo aqui!”

SEM MISERICÓRDIA



Madrugada, silêncio, mas os policiais tinham certeza de que eram observados. Por trás de portas e janelas havia testemunhas anônimas de que Pinguinha fora atingido pelo único disparo da perseguição. Por isso, impossibilitados de dar o segundo tiro, o tiro de misericórdia, esperavam ali, há duas horas, que o marginal morresse, para que pudessem chamar o socorro médico.

terça-feira, 6 de maio de 2008

O DEUS DAS FORMIGAS




Antes de lavar a louça da noite anterior, viu, na pia, milhares de formigas sobre restos de comida. A metáfora perfeita da relação entre Deus e os homens, pensou. “Essas formigas consideram-me deus. Afinal, sou incompreensível; não conseguem entender sequer meu formato. Sabem que existo por causa dos movimentos, da voz, entre outros sinais. Meu gigantismo leva-as a supor que criei tudo o que existe. Acham-me bom, afinal, de onde vem a comida sobre a qual atiram-se todos os dias”? Após ouvir dele tais conclusões, a esposa discordou:
- Você,deus das formigas,é diferente e melhor que o Deus dos homens, criador de maremotos, terremotos e vulcões.
- Bem... antes de ensaboar a louça, abri a torneira da pia e tudo- restos de comida e formigas- foi pelo ralo.

O CASTIGO DE ROZALÁ



Eles viram quando o homem justo Rozalá, que o Rabino ressuscitou, passou do outro lado da rua, cabisbaixo.
- Ele não parece muito contente.
- Lógico! Depois do castigo que recebeu, o que você queria? Que saltitasse?
- Castigo? Desde quando voltar do outro mundo é castigo?
- O Rabino não ensina que é no outro mundo que os justos têm a verdadeira vida ? Ressuscitado, Rozalá foi condenado à morte por mais tempo.

segunda-feira, 5 de maio de 2008

PORTA DE BANHEIRO



A operação contra atos de vandalismo nos sanitários públicos fizera o primeiro flagrante: Arão da Silva, 32 anos, fora surpreendido no momento em que rabiscava a porta de um banheiro. Evangélico, há semanas dedicado a uma campanha de moralização dos costumes, ele só tivera tempo de escrever, no pequeno espaço que encontrara em meio às dezenas de inscrições pornográficas, o início do salmo 34: “ O homem justo sofre nesta vida”.

CÁLCULOS DE GOLEADOR



Tomando por base as partidas entre sua rua e as outras ( os jogos-contra), ele tem quatro gols, Didoca, oito. Bem, mas os jogos no campinho, só com o pessoal da sua rua, também são importantes, principalmente aos domingos,quando todo mundo vai e é preciso fazer um torneio com três times. Certo, mas mesmo aí o Didoca tem 15 gols e ele oito.E se forem somados os gols feitos nos dias de semana? É verdade que, nestes dias, o Didoca não pode ir ao campinho porque precisa, depois da escola, ajudar a mãe na quitanda. Problema dele. A coisa, então, está 16 a 16.
- Disputa emocionante pela artilharia do campeonato, torcida brasileira!

AGONIA



- Uma mulher destas dá até uma agonia na gente!
Costumava dizer isso toda vez que passava uma mulher bonita e, por isso, recebeu o apelido de Agonia. Feio, desengonçado e tímido, já chegara aos 40 anos e nunca tivera namorada, apesar de ser um sujeito trabalhador, honesto e sem vícios.Até o dia em que Luzinete, recém-chegada de Alagoas, viúva, mãe de três crianças, demonstrou certo interesse por ele. Antes de qualquer intimidade, porém, conheceu o carpinteiro Abdon, melhor apessoado e afastou-se de Agonia que, desiludido, deu um tiro na cabeça. Morreu instantaneamente. Sem agonia.

POSSIBILIDADES DE VIDA



- É possível haver formas de vida em outros planetas?- perguntavam os alunos.
Respondia o professor:
- O universo tem milhões de galáxias e bilhões de planetas. Mesmo assim, não acho possível.A não ser que haja seres que consigam sobreviver comendo plantas, animais, respirando ar, bebendo água, essas coisas...