segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Bala perdida

Primeiro, eu vi a criança que corria; um sorriso que pedia uma bala de hortelã.

Depois eu vi a criança que jazia e uma bala que o sorriso na corrida não pedia.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Epitáfio


Jovem, doía-lhe, por apego sentimental , desfazer-se de objetos (um carro, um móvel, mesmo uma roupa).
Personificava as coisas.
Idoso, ferido pelos reveses da vida,desfazia-se de todos (amigos, parentes,colegas) como alguém que se livra de meias velhas.
Coisificava as pessoas.

Sexo

Eram casados há anos. Sem que ele (ela) soubesse, ela (ele) não atingia o climax na cama, mas fingia. Ficava feliz em saber que, assim fazendo,o marido (mulher), estimulado (a), gozava . Não tinham orgasmos e eram felizes no sexo.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Angústias

Desde que se casaram, ela angustiava-se por medo de ser traída.Durante 25 anos, submeteu o marido a severo controle,de horários,documentos, amizades.Recorreu a detetives particulares, quando julgou preciso. Ao enviuvar, teve o consolo de que o marido nunca a enganara. Sobreviveu-lhe, porém, nova angústia:  não o fez por que não quis ou por que não pôde? 

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Ela tinha razão


Revólver ainda fumegante na mão, olha para o corpo da esposa estirado no meio da sala.Não suportava mais ela atormentando-o, dizendo que ele não sabia fazer nada direito, e  resolveu matá-la. Não deu certo: a mulher ficou paraplégica.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Missão cumprida

" Os 12 líderes de organizações que, mesmo dos presídios, comandavam o crime nas ruas, morreram esta manhã quando o avião que, mais uma vez, fazia suas transferências de penitenciárias, caiu no mar, em um ponto do litoral norte. A aeronave, prefixo X, havia saído às 9 horas da capital".
Em uma praia deserta, também do litoral norte, após ouvir a notícia, no rádio do celular, o piloto do mesmo avião e mesmo voo escondeu o paraquedas que acabara de usar e tomou rumo ignorado.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Anjos e vampiros



- Não morremos, mas não temos espírito, por isso, jamais chegaremos ao Paraíso, disse o vampiro.

- Somos eternos, mas não temos corpo, por isso nunca viveremos na Terra, respondeu o anjo.

E ambos direcionaram olhares cheios de inveja para o homem que arava seus campos.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A coisa não dita

Eram jovens e, certo dia, ele disse a ela que tinha vontade de lhe confessar uma coisa, mas no momento estava sem coragem. Talvez na outra semana. Ela ficou curiosa, mas na outra semana eles não se encontraram,só 20 anos depois, por acaso, em um shopping. Em meio à conversa, ela lembrou-se da coisa não dita.Ele nem se lembrava daquilo, mas não queria que aquele reencontro terminasse ali. Ela tornara-se uma bela e desejável mulher. Então, inventou:

- Naquele dia, minha vontade era dizer-lhe que a achava muito sensual e tinha fantasias eróticas com você.

- Ah, bom!- limitou-se ela a comentar , antes de despedir-se, encontrar-se com a atual namorada e ir embora.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

O atentado

O homem aproximou-se do carro do ministro da Justiça, no semáforo,apontou o revólver e disparou por três vezes. A autoridade não se feriu, mas o motorista, atingido uma vez na cabeça, morreu instantâneamente.A polícia não sabe explicar a razão do atentado. O ministro, perto de aposentar-se, é um homem discreto, pacato, de vida pessoal e profissional inatacável, elogiado até mesmo pelos opositores do governo .O presidente da República discursou, repudiando publicamente o ato e dando graças por ele ter sido mal sucedido.
-O fracasso desse atentado só fortalece as instituições democráticas- disse.
Só o atirador, cuja mulher, há algum tempo, mantinha relação extraconjugal com o motorista , sabe que a ação teve completo êxito.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Consciência apaziguada





Entre os 17 e 19 anos, teve quatro namoradas, que dispensou por motivos fúteis. Aos 20 , deixou a cidade e percorreu o mundo, empenhado em tornar-se o que é hoje, aos 50 : um dos mais ricos empresários do país. Não o abandonou, porém, o sentimento de culpa pelo desprezo às namoradas da juventude. Decidiu procurá-las e compensar o mal causado.Reuniu-as certo dia no luxuoso escritório, recebeu uma a uma em sua sala, explicou-lhes rapidamente o motivo da convocação e, a cada, deu dinheiro suficiente para que acertassem suas vidas financeiras ou satisfizessem sonhos de consumo.Após isso, respirou aliviado, paz na consciência .

As mulheres, por sua vez, dirigiram-se a um restaurante, conforme haviam combinado antes,  ao se conhecerem na sala de espera. E, entre garfadas, goles e risos, esforçavam-se para, pelo menos, lembrar da dor que um dia o generoso senhor lhes teria causado.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Ofensas

- Você me envergonha perante minhas amigas.

Após 10 anos de casados, fora a última ofensa que ouvira passivamente da mulher por causa de sua deselegância e desleixo .Daquele dia em diante, abandonara bermudas, camisetas e chinelos de dedo; entraram em seu cotidiano a harmonia do vestuário e a ginástica anti-barriga.O desodorante de bastãodo supermercado - ou a falta dele- deu lugar aos perfumes importados.

- Muito estranha essa sua mudança. Deve ter alguma vadia por trás disso.

É a nova ofensa que ouve da mulher.

Bom demais



Contrariava os inimigos porque não reagia - e até perdoava - às ofensas morais e físicas.
Magoava quem o amava porque, assim agindo ( acreditavam ) sofria.
Bom demais, morreu sozinho.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

o cigarro enjeitado


Aquele cigarro não passou no teste de qualidade por causa da mancha preta no papel.O funcionário encarregado da seleção colocou-o no bolso do avental, na intenção de fumá-lo após o serviço, o que tentou fazer no ponto de ônibus.
- Me dá um cigarro?
Deu-o a quem pediu sem sequer acendê-lo. O agraciado o fez. Mas,  antes da primeira tragada, teve de jogá-lo fora, devido à chegada súbita da condução. Na sarjeta, foi recolhido pelo mendigo bêbedo, que, sem apagá-lo,colocou-o na caixa de sapatos que pegara há pouco na frente de uma loja.
E que esqueceu logo a seguir no banheiro de uma pastelaria.
Assim surgiu o incêndio.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Nova ordem



Urgia que se derrubasse a estátua do grande líder deposto.Afinal, dizia a propaganda do novo governo,a revolução tudo mudara no país. E que a demolição fosse devidamente registrada, para a posteridade saber que, da ordem anterior, não restaram sequer símbolos.Convocaram, para isso, o fotógrafo palaciano.Após seu trabalho, a que ninguém prestara atenção, retirou-se discretamente, mantendo a convicção de que nem tudo mudara.Ele. por exemplo, fora o fotógrafo oficial da inauguração do monumento.

Lua - de- mel


O casal mundial do rock`n roll passou a lua-de-mel na Lua. Onde, finalmente, conheceu o silêncio.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Brinquedos



Os objetos recolhidos no depósito de lixo atrás do barraco onde morava, adicionados de imaginação, transformam-se em brinquedos.Carretéis sem linha são pneus de carrinhos;palitos de fósforo viram miniaturas de pessoas; caixas vazias, vagões de trem.Esta esfera de metal,por exemplo, que ele não sabe originalmente o que é, para parecer uma bola de futebol americano é só tirar o pino que está na ponta.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Poeta triste


Poeta triste, andando a esmo pela noite fria: " A chuva cai, mistura-se às minhas lágrimas e desce por meu rosto abaixo. Apenas para haver rima, por que o sol não se mistura a meu sorriso e sobe por meu rosto acima?"

A herança


- Doutor, quando era secretária do banqueiro , tive um filho com ele, que ele nunca reconheceu. Como nunca se soube da existência de nenhum outro parente dele , a criança é a única herdeira da fortuna e não aquela tal fundação. Não denunciei nada antes porque ele ameaçou matar eu e meu filho se o fizesse.Sustentou-me todos estes anos até com certo conforto.Mas agora que morreu, não tenho mais medo e quero a herança do meu filho.
- Com os dados que me deu, poderíamos entrar na Justiça com um pedido de exumação do corpo, para exame de DNA.Mas, conforme disposições testamentárias, ele foi cremado e as cinzas jogadas na lagoa onde gostava de pescar.

terça-feira, 11 de maio de 2010

O segredo



-Certa vez, casualmente, ele disse-me que tinha um segredo, mas não me revelaria porque eu nunca acreditaria.Durante os 30 anos em que vivemos juntos, tentei,por várias vezes, fazer com que me contasse, mas não adiantou. O máximo que concordou foi que deixaria a revelação, por escrito, com um amigo. Se morresse primeiro, o envelope ser-me-ia entregue, o que, realmente,ocorreu.
-Qual era o segredo?
-Que ele era um homem que nunca tivera segredos.

História de uma civilização


Quando chegaram àquele território eram em número reduzido e os recursos, abundantes.Multiplicaram-se e as possibilidades de expansão pareciam infinitas. Era-lhes despercebido que, à medida em que se expandiam, não só os alimentos tornavam-se mais escassos, como, também, outros elementos fundamentais à vida, como o ar e a água. Jamais repunham o que consumiam e a solução para, cada vez mais numerosos, sobreviverem, era a busca incansável por mais espaço. E, assim, um dia, não tinham mais para onde ir. Exauriram o território de todas suas possibilidades vitais. E morreram. Terminava, assim, a história daquela civilização de micróbios da doença que matou o José.

Da varanda celeste


Da varanda celeste, Deus observava os homens, seus dramas, tragédias e incertezas.Quantas vezes apontara-lhes a luz e eles preferiram as trevas? Em quantas ocasiões , quando pareciam ter corrigido os rumos, retornaram à má trilha anterior? Eram rebeldes, como o primeiro casal, que trocara a vida eterna por um prazer efêmero. Estava melancólico, tinha pena deles, mas não podia fazer nada . Prometera respeitar-lhes o livre arbítrio e palavra de Deus não volta atrás.Comovia-O sua ingenuidade, pois acreditavam-nO Todo- Poderoso, sem saber que Ele não podia nem com os próprios filhos.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Ponte aérea

O homem que abandonara, três anos atrás, pouco antes do casamento- atitude drástica, mas que lhe trouxera grande alívio- senta-se ao lado dela, agora, no avião.


A mulher que, três anos antes, o deixara às vésperas do casamento, sem nenhuma explicação, mas, sem querer, trazendo-lhe grande alívio, é a que está na poltrona do avião em que acaba de se sentar.

Meia hora de silêncio depois , desembarcam e seguem para suas casas, onde os aguardam os beneficiários do alívio mútuo de há três anos.

Rostos nas manchas


São pessoas falecidas que usam tal expediente, fazendo-se notar pelos vivos e, assim, conseguir orações que as ajudem a apaziguar-lhes os sofrimentos da vida eterna..Foi a explicação que encontrou para o fato de, frequentemente, distinguir imagens de rostos em formações de nuvens; desenhos de ladrilhos, manchas de tintas e outros vestígios aparentemente sem formas. Quando as via, por elas dirigia súplices preces aos céus. Os mortos, de fato, assim lhe apareciam , mas apenas para comunicar-lhe que estavam felizes.

A pergunta


Abandonou a mulher e caiu no mundo. Dois anos depois, confessando-se arrependido, retornou ao lar e foi aceito por ela. Passado algum tempo, queixou-se :
- Antes, você era mais carinhosa,dedicada, confiante; mais cuidadosa com a própria aparência, mais interessada em minhas coisas,menos crítica de meu comportamento. Você era uma pessoa melhor.
- Então, por que me deixou?- respondeu ela , afastando-se, sem esperar resposta.

O retorno do gênio


Após ter sido liberto, pelo rei, de seu milenar cativeiro em uma garrafa, o gênio ofereceu-se para satisfazer-lhe três desejos.
- Temos riquezas e paz social. Por isso, só peço uma dádiva para meu povo: que todos os homens aqui nascidos sejam de natureza inflexível.. Queremos ser uma nação de orgulho inquebrantável.
Anos depois , retorna o gênio ao reino, constatando caos, pobreza e morte.Lamenta-se o soberano:
- Eu não sabia que quem dobra a espinha garante a existência de quem não o faz.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Antipoe


Não era um cenário de Edgar Allan Poe; não era um poema dos que não se fazem mais;nem mesmo cena literária parecia e o corvo sobre a mesa, entre envelopes e postais, era morto, empalhado, peso de prender postais: não falaria nunca mais. Era um prédio paulistano, em ano quente, verão terrível, de calores abissais, e no oitavo andar o poeta viciado jazia, morto por uma dessas doses de drogas tão letais que parecia o corpo, retorcido pelas convulsões letais, não ser um corpo, jamais.

Crueldade


Ela não gostava daquele gato, bem nutrido, que ficava caçando passarinhos em seu quintal.
- É um bicho muito cruel- comentou com uma amiga.
- E como faz para pegar os pássaros?
- Aproveita quando as pobres aves estão distraídas, tocaiando os insetos que saem de baixo da terra.

Heresia



- Por que o monge está na fogueira, entre os demais hereges?
- Queria saber demais sobre os anjos.
- O quê?

- Em não tendo corpos físicos, por que asas para voar?

Compreensão


Uma hora se passou, ele vai levá-la de volta ao serviço e, como sempre, à exceção de um e outro resmungo, ela nada falou durante o almoço.
Final do dia, ele a deixa na porta de casa, após pegá-la no local de trabalho, e, a não ser pelo boa noite da despedida, ela nada pronuncia.
Ela o ama e irá casar-se com ele principalmente por sua grande capacidade de compreensão.
Ela não tem deficiência vocal; de vocabulário, tampouco é tímida. Pelo contrário. Fosse muda, analfabeta ou retraída e jamais conseguiria trabalhar oito horas por dia, como locutora , anunciando produtos e ofertas em uma loja de departamentos.

Última vontade


Estava em região remota da Europa, quando soube da morte do velho amigo. Só pôde retornar ao Brasil uma semana depois, sendo informado que sepultaram o amigo na cidade em que este nascera, atendendo-lhe à última vontade , expressa em testamento: " ficar junto do objeto dos desejos infantis".Resolveu visitar o túmulo , surpreendendo-o a informação de que não era no cemitério. Ficava no ponto mais alto da serra ao sopé da qual estava a pequena cidade. E, ao dirigir-se ao local, vendo a silhueta  recortada no céu azul, descobriu o porquê da vontade póstuma . A serra assemelhava-se a uma gigantesca mulher nua, deitada de costas e seu ponto mais alto correspondia, exatamente, ao que a imaginação desenhava como sendo bico de um seio.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Tragédia



Entre as dezenas de vítimas do incêndio na favela estava o casal que, impossibilitado de escapar das chamas, morreu ainda no quarto, ainda na cama.Os corpos, carbonizados no último abraço,comoveram a todos. Menos ao marido da mulher que, trabalhando no turno daquela noite, só soube da tragédia pela manhã.

Ciranda


O líder da sociedade de bairro aguarda ser atendido no gabinete do vereador, que o faz esperar porque se encontra no gabinete do prefeito, que não lhe concederá audiência enquanto não receber o telefonema do deputado, que não ligará enquanto não se encontrar com o governador, que não o atenderá antes da chegada do presidente, que jamais aparecerá porque foi assassinado, ao entrar na cidade, por um líder de sociedade de bairro, que foi procurar o vereador para que este lhe contratasse um advogado.

O único


O único morto no tiroteio na boca de fumo, durante a batida policial, não era um soldado, nem traficante, tampouco viciado: era um pai que fora comprar droga para o filho.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Duas escolhas


- Vocês têm duas escolhas: vida, se abandonarem já as drogas; ou morte em seis meses, caso continuem com elas- dizia o veterano psiquiatra aos viciados sob seus cuidados.
Quase todos continuavam dependentes . Estes, passados seis meses, o psiquiatra matava.

Separação




Impotência dele.
Frigidez dela.
Todos tinham uma explicação para a separação de Fausto e Hélia, logo após a lua de mel.
Menos o casal.

Apodreço




No tempo dos faraós, decepava-se a mão direita do escravo acusado de furto. Após a amputação, o membro era preso a uma estaca e exposto por meses nos jardins do palácio. Inenarrável o pavor que tal prática provocava entre os servos; menos no filósofo grego, integrante de um grupo de escravos recentes.Deixou-se pegar em flagrante e, após isso, todos os dias de manhã ia aos jardins acompanhar, fascinado, a decomposição da própria carne.

Sem chances




O primeiro relatório enviado pela sonda robô revelava: o planeta tinha, em volta dele, uma estrutura gasosa, formada, em sua maior parte,por oxigênio. A superfície era dominada por uma composição líquida, tendo como principais componentes oxigênio e hidrogênio, na proporção de duas partes de H para uma de O.
- Impossível a vida em um planeta assim- sentenciou o chefe dos cientistas.
E os habitantes da estrela X desistiram de colonizar a Terra.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Revelação




Espalhou-se o boato de que ossos de uma criança foram encontrados durante a demolição da casa velha.
- Onde estavam?- perguntou Nicanor.
- Dentro de uma sapata- respondeu alguém.
"Então o menino do bairro que desapareceu durante as obras de concretagem não tinha sido raptado, afinal", lembrou Nicanor, servente de pedreiro aposentado, que trabalhou nas obras da casa, 50 anos atrás.

Após o terremoto


Discutiam na mansão onde moravam,em Porto Principe. Por contenção de despesas, o marido queria vender o apartamento de Londres,para onde quase nunca iam por ele detestar o frio.A mulher não concordava: que se livrassem,então, do apartamento de Nova Iorque, cidade que a incomodava por seu gigantismo. E, como sempre ocorria quando se sentia muito contrariada, ela saiu abruptamente para o jardim, chamando-o de incompetente e fracassado. Foi o que a salvou. Naquele instante, houve o terremoto e o marido morreu , sob os escombros da casa.
Na fila diante do carro da ONU, onde se distribui cestas básicas para os desabrigados, ela lamenta a falta do marido, principalmente em circunstâncias tão difíceis, torcendo para que possa sair logo daquela terra arrasada. Rumo a Paris ou Nova Iorque, tanto faz.

Pela janela do trem


Durante a viagem, o menino não desgrudou da janela do trem, por onde lhe era mostrado o mundo.Sempre calado, viu florestas, morros,plantações, rios e praias e, quando a composição precisou parar,por causa das inundações,viu  a estação da pequena cidade onde fariam baldeação.Continuou calado.  Perto da plataforma, passavam quatro porcos e algumas galinhas. Só então falou, excitado:
- Olha,mãe, aquele porco tem uma orelha só!

Um plano para Lúcifer


Lúcifer e conselho ouviram o plano da alma recém-chegada a seus domínios: para vencer e destruir o Criador, deveriam deixar de ser agentes da justiça divina. As almas dos maus não mais sofreriam no inferno.Pelo contrário: teriam prazeres.Assim, nenhum homem temeria a condenação eterna: o inferno seria desejado pelos maus e os demais não veriam no Paraíso a maior das recompensas pós-morte.
Ouvida a alma, Lúcifer mandou que a atirassem a um rio de lavas.
- Esse plano não é contra Deus. É contra mim.Dar-me-ia uma característica contrária a minha essência e me destruiria.
- Que característica é essa?- indagou um demônio.
- A misericórdia- respondeu Lúcifer.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Na missa


- Meus filhos- dizia o padre aos fiéis,na missa-vocês podem escolher entre o bem ou o mal, pois têm o livre arbítrio. Mas Deus sabe o que todos faremos no futuro e, se escolhermos o mal ser-nos-á destinado o fogo do inferno.
- Ana- dizia Antonio à esposa - nossa filha está correndo muito perto do altar . Logo,logo, , vai esbarrar nele e derrubar alguma coisa. E quando isso acontecer vou dar umas boas palmadas nela.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

A pomba


Brancura nas penas ratificando a simbologia da paz, a pomba, após decolar do telhado,cruzou a avenida, aterrisou na calçada , dirigiu-se ao mendigo que dormia sob a marquise do ponto de ônibus e bicou-lhe os pés nus, onde estavam as migalhas de pão.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

No velório do filho


Ivaniel vela o homem, vítima de câncer no pulmão e cirrose hepática . Era seu filho, que conhecera há alguns meses, mas que concebera há 60 anos, quando tinha 12, seduzido pela empregada da família.A mulher, expulsa da casa, logo após a sedução, nunca falou sobre a gravidez, e Ivaniel só veio a saber que era pai aos 72 anos de idade.E pelo próprio filho, o sexagenário trêmulo, de roupas puídas,trazendo no corpo visíveis sinais da morte próxima, que meses atrás estivera pela primeria vez em seu escritório.Após este dia, encontraram-se por mais três vezes, durante o processo de reconhecimento da paternidade.Agora , no velório, nenhum sentimento maior assume o coração de Ivaniel.Talvez, sim, certo alívio por não ter mais de chamar o filho de senhor e ser chamado por ele de você.

A dúvida de Abenias


Aos homens que lhe perguntaram se a mulher pecadora não deveria ser apedrejada, o Filho de Deus respondeu:
- Atire a primeira pedra quem nunca cometeu pecado.
Ninguém atirou pedra, a multidão dispersou-se; o Filho de Deus também foi embora, seguido da mulher pecadora,ilesa.
Ficou Abenias, sozinho na praça, intrigado pelo fato do Filho de Deus também não ter atirado nenhuma pedra. Naquele instante instalou-se-lhe na alma a dúvida que o acompanharia para o resto da vida: teria o Filho de Deus reconhecido ser um pecador?

Olhar de morto


A facada foi certeira e rápida e ele não teve tempo sequer de fechar os olhos, que ficaram fixando-me, sem brilho. Até hoje, 20 anos depois, esta imagem persegue-me, tirando-me o sono, a fome, o sexo.A morte do homem que assassinei foi sua vingança contra mim.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Inútil




Uma das vítimas daquele desastre de avião em alto mar e cujo corpo jamais seria encontrado nunca trabalhara ou estudara , fora casado ou tivera filhos. Em seus 40 anos de vida, sempre fora sustentado pelos pais, em princípio diretamente, depois, com a morte destes, por meio de um pecúlio.
A primeira confirmação de que era uma da vítimas para sempre desaparecidas do fatídico voo estava, agora,nas mãos da funcionária da empresa aérea: o documento atestando ser ele doador de órgãos para transplante.

O livro




Durante seis meses, no ônibus comum que os levava diariamente ao trabalho , o senhor de meia idade e a linda jovem, de visual perturbador jamais sentaram-se juntos. Ela pegava o coletivo algumas paradas após ele, mas sempre escolhia outra poltrona .
Até aquele dia, em que o único assento vago era ao lado dele.
Inseguro , certo de que não seria sua aparência física que a interessaria, o homem decidiu exibir o lado intelectual, modo a seu ver infalível de chamar-lhe a atenção. Deixou, então, bem visível, a capa do livro que estava lendo.
Ela notou ( Diálogos de Platão) e sentiu extinguir-se a esperança, acalentada há meses: jamais um homem tão culto e inteligente ligaria para ela,simples e semianalfabeta balconista de loja.
Tensos, sem se olhar, prosseguiram viagem. E jamais vieram a se falar.